Beata Chiara Luce: um testemunho de vida e santidade na adolescência

"POR TI, JESUS. SE TU QUERES, EU TAMBÉM QUERO"- Amor, entrega e santidade. Conheça a história da Beata Chiara Luce Badano.

                                                                        Foto usada na Beatificação de Chiara Luce Badano
Estamos acostumados a entender a história dos Santos como algo extraordinário, fora do comum, do ordinário, da nossa vivência diária. Não entendemos que esse extraordinário advém da entrega total -sem parcelas- à ação do Espírito Santo e ao amor de Jesus Cristo. Entretanto, ao olharmos a vida dos Servos de Deus, Veneráveis, Beatos e Santos com maior atenção, podemos entender que a santidade deles tem início no dia a dia, no que há de comum, ou seja, nas alegrias diárias que não percebemos, nos sofrimentos que nós renegamos, olhando ainda mais fundo, podemos ver que em cada um deles, há um pouco de nós.

A Beata Chiara Luce Badano é um exemplo de que a santidade é necessária, bem como possível, atingível e realizável, inclusive para os jovens.

Em 1971 nasceu essa jovem italiana, muito bonita, alegre, cheia de amigos, comunicativa, amante dos esportes e de um olhar incrivelmente iluminado, assim como seu nome,“Luce”, nos adianta. Educada em uma família católica praticante, Chiara cresceu aos ouvidos do Evangelho, entendendo que era necessário dizer sempre SIM a Jesus. Sempre dócil a todos os ensinamentos de seus pais e de Jesus, buscou viver a caridade e aceitar os projetos de Deus para sua vida em todos os sentidos. Aos 9 anos começou a fazer parte do Movimento dos Focolares, de forma que sua vontade de vivenciar o Evangelho de forma efetiva e coerente tornou-se o maior objetivo de sua vida.

Sua vida e seus sofrimentos eram tão comuns e normais que podemos comparar com a vida da maioria dos jovens da atualidade. Marcada por uma reprovação no 1º ano do Ensino Médio, embora tenha se dedicado e se esforçado aos estudos, Chiara precisou lutar para entender esse sofrimento e entregá-lo nas mãos de Jesus. Assim, nós também passamos por inúmeras incompreensões, problemas e dificuldades na faculdade, na escola e no trabalho. Ninguém é privado disso. Cabe a nós, sabermos, assim como a jovem Beata o fez, colocá-los nas mãos de Jesus, que recebe nossas tristezas e alegrias, vitórias e fracassos. Se somos fiéis no pouco, Ele nos confia mais e mais.

Dessa forma, sendo fiel na escola, em casa, nos esportes que gostava de praticar, com a família e os amigos, Luce foi, também, fiel até o último segundo de sua vida. Após sentir dores no ombro, ela foi diagnosticada, aos 17 anos, com câncer: osteossarcoma.  Ao receber o diagnóstico e começar o tratamento, a jovem sabia o sofrimento que teria que passar a partir daquele momento. Aceitar toda essa situação não foi fácil, mas ela, apesar da travada luta interior, levou 25 minutos para dizer o SIM irrevogável e sincero a Jesus: “Por ti, Jesus. Se tu queres, eu também quero”.

Desse momento em diante, os dois anos de sofrimentos vivenciados por ela foram marcados por total oferta e amor- a Jesus e aos seus.  Entregava suas dores e aflições ao Pai, sem jamais se abduzir. Sendo sempre visitada por seus amigos, Chiara amava sem restrições, assim como conta seu amigo: “No início tínhamos a impressão de ir ao encontro dela para sustentá-la, mas logo percebemos que entrando no seu quarto sentíamo-nos projetados na aventura maravilhosa do amor de Deus. E não é que Chiara dissesse frases extraordinárias, ou escrevesse páginas e páginas de diário. Ela simplesmente amava”.

É fácil entender que Chiara descobriu o amor de Deus em tudo e em todos que a rodeavam. Ela entendeu que a santidade consiste em amar a Deus de tal forma que para corresponder a esse amor, o mínimo que devemos fazer é aceitar a vontade dEle e fazer tudo como Ele quer que seja feito. Ela aproveitou sua família, aproveitou seus amigos, aproveitou as alegrias que o mundo pôde lhe oferecer, sem tirar os olhos do Amado, sem desviar os olhos do que realmente importa: a eternidade. Assim também nós devemos fazer.

No dia 7 de outubro de 1990 Chiara Luce parte para a eternidade. Suas últimas palavras, dirigidas à sua mãe, foram “Mamãe, seja feliz, porque eu o sou!”. Nessa onda de infelicidades, suicídios, depressão, Chiara vem nos dizer que todos podem ser tão felizes quanto ela. Não precisamos fazer ou viver nada de extraordinário se não a vontade do Pai, seguindo a fé e os dogmas da Santa Mãe Igreja.

Em 2010, reconhecida por milagres realizados em seu nome, Chiara foi proclamada Beata e continua atingindo o objetivo inicial de beatificação, traçado pelo bispo de Acqui, Dom Lívio Maritano: "Pareceu-me que o seu testemunho foi significativo sobretudo para os jovens. Precisamos de santidade nos dias de hoje. Temos que ajudar os jovens a encontrar uma orientação, um objetivo, a ultrapassar a insegurança e a solidão, os seus enigmas perante os insucessos, o sofrimento, a morte, e todas as preocupações. O testemunho de fé e de fortaleza desta jovem é surpreendente. Impressiona, leva muitas pessoas a mudar de vida, temos testemunhos quase todos os dias". 

Que possamos, assim como a Beata Chiara Luce o fez, ser santos e nos entregar integralmente nos braços do Pai.


Gleice Kelly
18 anos, Católica, batizada, crismada, catequista e integrante do Movimento TLC- Diocese de Palmeira dos Índios/AL;
Estudante de Ciências Farmacêuticas- UFAL.

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.