A responsabilidade dos católicos e evangélicos nas eleições de 2018 no Brasil



As eleições presidenciais do Brasil estão chegando. Grande parte dos brasileiros ainda não se deu conta do momento histórico e decisivo que o país vive. Nomes de pré-candidatos são mencionados na mídia, dentre eles, o ex-presidente petista, Lula, investigado pela operação Lava Jato, da Polícia Federal; Jair Bolsonaro, da ala da direita; Marina Silva e Geraldo Alckmin, além do recém anunciado pré-candidato nesta sexta-feira (19), o ex-presidente Fernando Collor de Melo. E hoje, mais que nunca, os brasileiros católicos e protestantes precisam unir suas forças, deixar de lado os fatores que os distinguem, em vista do bem maior: A segurança jurídica da Nação, a liberdade de expressão e culto, a preservação dos direitos que protegem a dignidade da pessoa humana e o Estado Democrático de Direito.

Temos visto algo que tem causado extrema indignação e revolta onde a notícia se espalha. O governo da Bolívia sancionou seu Novo Código Penal, e dentre inúmeras aberrações, como a criminalização da propriedade privada e a justificação para a tortura, fora trazido pelo referido regramento, em seu artigo 88, a criminalização das práticas de cultos religiosos, financiamento de entidades religiosas e da evangelização, estando esta, comparada com o recrutamento de pessoas para conflitos armados.

ARTÍCULO 88. (TRATA DE PERSONAS). I. Será sancionada con prisión de siete (7) a doce (12) años y reparación económica la persona que, por sí o por terceros, capte, transporte, traslade, prive de libertad, acoja o reciba personas con alguno de los siguientes fines:
[...]
11. Reclutamiento de personas para su participación en conflictos armados o en organizaciones religiosas o de culto;
[...]

Ocorre que isso não é fato novo na história da humanidade. A grande problemática é que a verdadeira face dos governos socialistas/comunistas são mascaradas pelo sistema de educação do Brasil. Não se fala hoje, nas escolas, que Che Guevara fora um dos maiores assassinos do continente americano, inclusive tendo massacrado grande número de homossexuais pelo simples fato de serem homossexuais. Hoje, homossexuais vestem camisetas com o dito cujo, o configurando herói e símbolo da luta pelos seus direitos. Não se fala também que, comprovadamente, os regimes comunistas mataram mais de 100 milhões de pessoas no mundo inteiro, muito mais que o Nazismo, na Alemanha.

Hoje, nosso vizinho, encontra-se sob o peso dessa triste realidade. E como em todo regime comunista, os primeiros perseguidos são as pessoas que possuem uma crença religiosa, seja ela qual for. Não é um direito conferido a você, católico, evangélico, ou fiel de qualquer outra religião, envolver-se no processo político de nossa nação. É uma obrigação! O grande problema - que me deixa triste - que tenho observado entre as pessoas que se dizem católicas e/ou evangélicas, é o erro de - por puritanismo - dizerem que uma pessoa da igreja não pode envolver-se na política, por ser ela bastante corrupta. Ora, ora! Onde está o mandamento de Cristo que lhe envia a ser sal da terra e luz do mundo? Isso não é um romantismo. O sal serve para dar gosto à comida. A luz, para ir ao meio das trevas, das piores trevas e lá iluminar. Vejo pessoas que se dizem religiosas "acendendo suas lamparinas diante do sol", e isso é uma realidade vergonhosa!

O Brasil está, sim, fortemente ameaçado e propício a se tornar uma nova Bolívia. Candidatos da esquerda, há mais de 16 anos, têm empreendido um projeto de poder que está levando o país a uma ignorância cultural e política devastadora, criando uma massa de manobra, disseminando o Marxismo Cultural. Assim aconteceu com a Bolívia. Assim aconteceu com a Venezuela. Assim está acontecendo com o nosso Brasil! 

A Igreja Católica Apostólica Romana condena abertamente as ideologias socialista/comunista e todas as ideias de Karl Marx e afins. Grande quantidade de papas se manifestam contrários a essas ideologias. O Decretum Contra Communismum, de Pio XII, continua valendo e prevê excomunhão automática a todos os católicos que votarem em candidatos adeptos a essas alas de esquerda, pois são abertamente contrários à religião. Perseguidores da fé, da Igreja, do culto religioso. Não se trata de um alardeamento exagerado. Essa é uma realidade observável hoje nos países comunistas. Na Coreia do Norte, por exemplo, o ditador Kin Jong-un aboliu o Natal como nascimento de Cristo e ordenou que todos os seus súditos comemorassem, na referida data, o nascimento de sua avó. 

Durante este ano, o portal do Católico Arretado se comprometerá a explicar detalhadamente todas as informações trazidas neste artigo, nortear os cristãos católicos e protestantes sobre as eleições presidenciais, bem como, promover orientações mais abrangentes e formações sobre o comunismo e as doutrinas de esquerda, a fim de que se tenha consciência da realidade que nos ameaça, e ameaça a nossa fé. 

Por fim, quero convocar a todos os meios de comunicação administrado por católicos e evangélicos, todos os perfis de Instagrans de evangelização, páginas no Facebook, youtubers e demais redes sociais a propagarem este texto, e exortarem seus seguidores aos perigos do comunismo e à necessidade dos fiéis ao engajamento na política, hoje, mais que nunca. Iremos, em breve, expor um calendário de ações, formações e materiais que muito os ajudarão a promover essas discussões. Não deixemos nosso país nas mãos dos maus. Oremos, vigiemos, mas partamos para a ação!


Deus nos guarde!





Natan Moreira
Tem 23 anos, é Bacharel em Direito e fundador da rede Católico Arretado, atuando no Instagram, Facebook, YouTube e Site. 

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.