Entenda a polêmica sobre a Consagração do Brasil a Nossa Senhora

A cerimônia de consagração foi solicitada pela bancada católica dos deputados, e contou com a presença de Dom Fernando Arêas Rifan, bispo da Administração Apostólica Pessoal São João Maria Vianney.


Imagem relacionada

Da Redação do Católico Arretado.

No dia 20 de maio, foi amplamente divulgado nas mídias sociais - e inclusive na agenda oficial do presidente da república - uma suposta cerimônia de Consagração do Brasil a Jesus por meio do Imaculado Coração de Maria - nestes exatos termos, conforme agenda oficial do presidente. O ato deveria acontecer no dia 21 de maio, às 14h, no Palácio do Planalto. Ocorre que, no dia e hora marcados, após alguns pronunciamentos, o presidente não leu a fórmula de consagração, e pior ainda, sequer assinou o documento.

A cerimônia de consagração foi solicitada pela bancada católica dos deputados, e contou com a presença de Dom Fernando Arêas Rifan, bispo da Administração Apostólica Pessoal São João Maria Vianney.

Ao ter ciência de que o presidente Jair Bolsonaro não recitaria a fórmula da consagração, nem assinaria o documento, Dom Rifan leu a carta de consagração e a assinou, juntamente a ele, Eros Biondini e o Ministro Dom João evangelista M. terra, porta-voz do governo. Segue o texto da Carta, publicado pelo próprio Dom Rifan em uma rede social:

Texto da Consagração a Nossa Senhora, assinado por mim, pelo Ministro Floriano Peixoto, porta-voz do Governo, Dom João Terra etc, entregue ao Presidente:
ATO DE CONSAGRAÇÃO DO BRASIL AO IMACULADO CORAÇÃO DE MARIA

Senhora de Fátima e Rainha da Paz,
este é um dia de Felicidade para nós Representantes da Frente Parlamentar Católica, dos Movimentos Marianos e de tantos Seus Filhos que muito a amam nesta Terra de Santa Cruz.
Estamos repletos de júbilo porque nos encontramos reunidos, de todo Brasil, na Presença do Presidente da República Federativa do Brasil, para entregar nas mãos dele este Ato com o qual Consagramos o Brasil, ao Vosso Imaculado Coração.
Temos certeza que este é o anseio de milhões de seus Filhos. Sabemos também que as nossas faltas, infidelidades e ingratidões são muitas, por isso, ó Rainha do Mundo, ó Mãe amada, apelamos ao seu imenso amor por nós e à Misericórdia Infinita do Seu Filho Jesus e lhe pedimos de aceitar este Ato Público e Oficial com o qual Consagramos a Nossa Pátria amada, o Brasil, ao Seu Imaculado Coração.
Esperamos assim receber aquelas graças que a Senhora já proporcionou a outros países que se Consagraram a Vós:
1. A Prosperidade e o crescimento econômico e religioso;
2. A Vitória sobre toda ideologia materialista;
3. A Garantia da Paz do País em seu interior e com as demais Nações.
Está assim Consagrado o Brasil, a partir de agora e para sempre, em ato irrevogável ao Seu Imaculado Coração, ó Maria, e por isso torna-se também propriedade exclusiva e perpétua do Seu Filho, Nosso Único Senhor, Jesus Cristo, Rei do Universo.
“Feliz a nação cujo Deus é o Senhor!” É o que desejamos com essa Consagração, usando para ir ao Senhor o mesmo caminho que ele usou para vir até nós: Maria Santíssima, Mãe de Jesus, o Filho que o Pai Eterno nos deu, nosso Redentor e Salvador.
____________________________________ 
Dom Fernando Arêas Rifan
_____________________________________ 
Dep. Eros Biondini Frente Parlamentar Católica
_____________________________________
Representante
_____________________________________
Dom João Evangelista M. Terra MSM
_____________________________________
Representante
_____________________________________
Representante

Brasília, 21 de Maio de 2019.

Logo após o ato, que não foi transmitido pelas redes católicas de televisão, alguns internautas, que assistiram a cerimônia por alguns canais no youtube e pelo facebook do deputado Eros Biondini, manifestaram dúvida sobre a legitimidade da consagração, que não foi assinada pelo presidente e não cumpriu alguns requisitos considerados necessários para a sua validade.

O Padre Marcelo Tenório, bastante atuante nas mídias sociais, publicou em seu facebook:




O Centro Dom Bosco também se manifestou nesse sentido:


Para pacificar as controvérsias, e em tom um tanto lamentoso, o próprio Dom Rifan publicou uma nota em seu facebook, admitindo que o presidente não assinou o ato de consagração, mesmo muita gente tendo esperado a assinatura, sendo assim, ele assinou o documento e entregou ao presidente da república, e terminou a nota dizendo que espera que o ato seja aceito pela Virgem Maria.

O Brasil já foi consagrado a Nossa Senhora em 1931

De fato, a consagração não aconteceu nessa ocasião, mas o que poucos sabem é que o nosso país já foi consagrado à Nossa Senhora em momento anterior. Um ano após o decreto do papa Pio XI, que proclamava Nossa Senhora da Conceição Aparecida como Rainha e Padroeira do Brasil, o Cardeal Leme consagrou oficialmente a nação brasileira, na presença de várias autoridades e com a anuência de Getúlio Vargas, então presidente, à Virgem Maria.

Assim, em frente da Igreja de São Francisco de Paula, no Rio de Janeiro, cerca de um milhão de pessoas foram prestar suas homenagens à  Padroeira naquele dia 31 de maio de 1931. De manhã, o ponto alto foi a Santa Missa Campal celebrada, onde a multidão de um milhão de pessoas cantou e rezou.

O  Rio de Janeiro, antiga capital brasileira, perante essa multidão, do Presidente da República, Getúlio Vargas, do Corpo Diplomático de 25 bispos, do Núncio Apostólico, Dom Aloísio Masela, de autoridades civis e militares. O Arcebispo do Rio de Janeiro, Dom Sebastião Cardeal Leme, consagrou oficialmente o Brasil à proteção de Nossa Senhora da Conceição Aparecida.


Qual atitude devemos tomar diante disso?

Vemos centenas de católicos, redes sociais e sites manifestando suas opiniões e isso é lícito, no entanto, em muitas delas, observamos inclusive desrespeito ao Dom Fernando Rifan, e demais autoridades que tentaram realizar o ato. Nós, do Católico Arretado, manifestamos aqui o nosso total respeito ao Dom Rifan, e acreditamos que ele agiu com as melhores intenções, basta lembrarmos que há poucos meses o Brasil vivia tempos de verdadeira perseguição, não só aos católicos, mas o pensamento cristão em geral, com governantes ateus, adeptos à ideologia marxista, e que jamais aceitariam fazer cerimônia parecida nas dependências do Palácio do Planalto.

Agora é tempo de silenciar, de rezar, de ser católicos e respeitar as autoridades da Igreja, inclusive ao Dom Rifan, que tem uma conduta reta, zeloso pela doutrina da Igreja e piedoso quanto às coisas sagradas. Qual o nosso conselho: O Brasil já é consagrado à Virgem Maria, e talvez você não seja. Então está na hora de começar a ler o Tratado da Verdadeira devoção à Santíssima Virgem, você não acha?

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.