Padres emitem nota repudiando São José de Anchieta como patrono da educação. Deputada lamenta em Carta Aberta.

Da Redação do Católico Arretado
No dia 25 de maio, os padres Nilson Marostica e e Bruno Franguelli, reitor e vice retor do Santuário Nacional São José de Anchieta divulgaram uma nota intitulada "Nota Oficial do Santuário a Respeito do Legado de São José de Anchieta", nota esta que, apesar do título, estarreceu milhões de católicos no Brasil inteiro pelo seu conteúdo.

Imagem relacionada

Como tudo começou?

Para melhor entendermos o que aconteceu, no dia 29 de abril a deputada catarinense Caroline de Toni (PSL/SC) protocolou um Projeto de Lei que visa a retirar de Paulo Freire o título de Patrono da Educação, e apesar de a deputada não ter defendido um patrono substituto, iniciou-se uma campanha nas redes sociais com o intuito de eleger São José de Anchieta o novo patrono, tendo em vista o grande legado que o santo deixou no Brasil, sendo ele o primeiro pedagogo a pisar nas terras brasileiras, tendo ensinado e catequisado os povos indígenas e criado o primeiro dicionário Tupi.

A ideia rapidamente se espalhou pelas redes sociais e tomou o gosto de milhões de católicos e não católicos no Brasil inteiro, justamente pelo fato de que Paulo Freire, apesar do grande reconhecimento nacional e internacional entre os marxistas, é considerado o causador do analfabetismo funcional que hoje assola não apenas as escolas, mas também, as universidades, segundo dados do INAF (Instituto de Analfabetismo Funcional), chegando a 38% o índice de alunos matriculados em universidades enquadrados como analfabetos funcionais, uma vez que, segundo a ideologia de Paulo Freire, não seria justo avaliar o aluno por meio de provas e exames, bem como, reprovar aqueles que não atingissem a média.

A Nota Oficial emitida pelos reitores do Santuário


Diante de toda a repercussão, os padres reitores do Santuário Nacional São José de Anchieta emitiram uma nota reconhecendo o grande legado deixado pelo santo, porém, defendendo que o patrono deve continuar sendo Paulo Freire, pois este também teria uma "imensa importância" para a educação brasileira, bem como, "tanto São José de Anchieta como Paulo Freire caminham na mesma direção". Segue a nota dos padres:

Nenhuma descrição de foto disponível.
Imagem retirado do facebook do Santuário Nacional de São José de Anchieta

O que os padres se esqueceram na publicação da nota, é o fato de que Paulo Freire era assumidamente adepto das ideias marxistas e da revolução pela luta de classes, ideologia esta totalmente condenada pelos documentos da Igreja Católica, inclusive, sob pena de excomunhão Latae Sententiae, ou seja, automática a todos aqueles que propagarem a ideologia comunista, sengundo o Decretum Contra Communismum, do Papa Pio XII.

Certamente, não é esta a direção para a qual São José de Anchieta caminha, e mais que isso, em direção oposta caminha ele e toda a Igreja, tendo em vista ser Paulo Freire defensor de uma ideologia ateia, que ensina que "Deus é o ópio do povo" e que para que seja implantada uma revolução marxista na sociedade é essencial a destruição da ideia de Deus, e isso só se daria, segundo ensina a própria ideologia de Karl Marx, se fosse destruída a Igreja Católica, a família tradicional e os valores cristãos preservados na sociedade ocidental.

Desse modo, os padres emitem uma nota distorcida, que enaltece a figura de um grande opositor dos ensinamentos de Jesus Cristo, contra os ensinamentos da própria Igreja e terminam por desmerecer São José de Anchieta quando o põem no mesmo patamar de Freire.

Deputada Católica rebate Nota do Santuário em Carta Aberta

Resultado de imagem para chris tonietto
Deputada Federal Chris Tonietto (PSL - RJ) - Imagem retirada da internet.

A deputada Chris Tonietto (PSL-RJ), ao tomar conhecimento da nota, apresentou nesta terça-feira (28), uma Carta Aberta publicada em seu facebook, dirigida aos padres reitores do Santuário que emitiram a nota que repudiou São José de Anchieta como patrono da educação. Segue o conteúdo da nota, na íntegra:

Em razão da nota oficial do Santuário Nacional de São José de Anchieta acerca do projeto de lei para a destituição de Paulo Freire como patrono da educação, tomei a liberdade de apresentar uma carta-resposta cujo inteiro teor segue abaixo:
“Carta aberta aos padres Nilson Marostica, SJ, e Bruno Franguelli, SJ, Reitores do Santuário Nacional de São José de Anchieta.
Prezados sacerdotes, a paz de Cristo!
Muito me decepciona a Nota Oficial divulgada pelo site do Santuário Nacional de São José de Anchieta e escrita pelos senhores. Como pudemos chegar ao ponto em que a figura de São José de Anchieta, co-padroeiro de nossa amada Terra de Santa Cruz e maior educador desta nação seja boicotada publicamente por dois sacerdotes pertencentes à mesma Companhia de Jesus, e que regem o santuário que leva o seu ilustríssimo nome?
A exaltação de Paulo Freire como grande educador é mais uma parte da engrenagem de propaganda da esquerda que alcançou o ápice de seu êxito durante os governos do PT. A pedagogia de Freire, que frequentemente recebe o nome de seu principal livro, “Pedagogia do Oprimido”, é pouco mais do que a aplicação direta de uma filosofia marxista na educação, com alguns requintes sociológicos. O autor procura tornar a escola um instrumento da luta de classes, e compreende todo modelo pedagógico anterior como “educação bancária” (sic), mera expressão de uma ideologia burguesa que visaria auxiliar a classe dominante a explorar a classe oprimida.
Os resultados práticos também são catastróficos: após décadas de aplicação do Método Paulo Freire, o que conseguimos em nossa educação foi uma taxa de 38% de analfabetos funcionais matriculados em universidades (segundo dados do INAF – Indicador de Alfabetismo Funcional), os últimos lugares em todos os testes internacionais dos ensinos fundamental e médio e uma vergonhosa escassez de profissionais qualificados. Este é Paulo Freire.
Qualquer comparação que se faça entre este pseudopedagogo e o padre José de Anchieta, que além de santo foi um dos grandes poetas das línguas portuguesa, latina e tupi, autor da primeira gramática da língua tupi, dramaturgo e pregador inigualável, fundador de diversas cidades – inclusive São Paulo – e um dos maiores educadores da História Moderna; qualquer comparação, eu dizia, entre estes dois indivíduos separados por um grande abismo formado pela cultura, santidade e eficácia de um e pela ignorância, perversidade e incompetência do outro, salta aos olhos não apenas por sua injustiça, mas, sobretudo, pela comicidade involuntária em que se põe aquele que procura igualar um dos grandes homens a pisar sobre a Terra a uma perfeita nulidade.
Resta a mim, na condição de cidadã brasileira e de fiel católica, lamentar o ocorrido e, sem fechar os olhos para os absurdos que se escrevem em nome da Igreja hoje em dia, seguir meu trabalho no sentido oposto, para recuperar o pouco de civilização e catolicidade que ainda nos resta e, como diz o lema de São Pio X, “restaurar tudo em Cristo”.
Quanto à acusação de que a troca do Patrono de nossa educação seria ideologicamente motivada, devo responder que, pairando infinitamente acima de qualquer divisão entre “direita” e da “esquerda” (termos cunhados no tempo da Revolução Francesa e que o santo jamais conheceu senão como significando direções no espaço), a figura de São José de Anchieta possui – ou ao menos deveria possuir – qualidades suficientes para agradar aos adeptos de qualquer ideologia. É um dos pais fundadores de nossa nação, e não o demagogo de um partido, como foi Paulo Freire.
Contem sempre com minhas orações, pelos senhores e pela venerável Companhia que, decerto movidos em seus corações pelo Sumo-Bem que conseguiram vislumbrar, decidiram servir pelo resto de suas vidas.
Atenciosamente,
Chris Tonietto, filha desta Santa Igreja Católica."


Nenhuma descrição de foto disponível.

Opinião do Católico Arretado

Nós, do Católico Arretado, assumimos uma postura de total obediência ao ensinamento da Santa Mãe Igreja, que possui a autoridade de ensinar infalivelmente sobre Fé e Moral, por meio das Sagradas Escrituras, do Magistério e da Tradição Apostólica, razão pela qual, repudiamos veementemente toda e qualquer ideologia marxista, bem como, qualquer teoria proposta por seus ideólogos, inclusive, por Paulo Freire.

Também reconhecemos o grande legado deixado por São José de Anchieta que, sem saber falar o idioma indígena, aprendeu a se comunicar com os índios, catequisou-os e realizou um imenso trabalho de ensino, bem como, toda a sua companhia.

Desse modo, defendemos o Projeto de Lei apresentado pela deputada catarinense Caroline de Toni, manifestamos nosso apoio e gratidão à deputada Chris Tonietto pela nota e pela defesa dos interesses do povo brasileiro, bem como, permanecemos em oração pelo desenrolar de toda essa situação e pelo momento difícil pelo qual passa hoje o nosso país, herdado pela desastrosa ideologia de esquerda dos anos anteriores.

Um comentário:

  1. Também estou no apoio, juntamente com vocês e com as deputadas, por um Brasil cristão e moralmente educado. Oremos pelo Brasil!

    ResponderExcluir

Tecnologia do Blogger.